Páginas

26 de julho de 2010

Dúvidas, certezas e incertezas

Não me entendo
E nunca vou me entender
O que eu quero da vida?
O que eu quero de você?
Dúvidas, paradoxos, incertezas
Tudo isso e mais um pouco me ronda
Que sentido faz isso?
Isso faz sentido?
Não é nem o ser ou não ser
É o ter ou não te ter
Está aí a questão
Questão não de vestibular
(essas são fáceis)
Mas questões da vida
(complicadas essas)
Fico pensando agora
E também não penso
No que fazer
Deixar como está
Ou procurar te esquecer?
Tu tens que viver
Para mim tanto faz
Viver ou não viver
Essa não é a questão
Será que o tempo irá falar
Ou ele também irá esquecer?
Muito poder ao tempo
Mas nada podemos fazer
A não ser esperar, esperar, esperar.

Um comentário:

  1. Matou a pau. Falou por mim.
    As dúvidas, certezas e incertezas me corroem e essa espera, dia após dia, é angustiante, um suplício.

    ResponderExcluir