Páginas

29 de maio de 2011

Eu e minhas merdas!

Cara eu sou um merda. Nós vamos aprendendo isso com a vida e com o cotidiano. Fazemos muita merda nessa vida. E nós pagamos conseqüências muito caras por isso. Quando eu falo que sou lesado, demente, idiota, imbecil, as pessoas não acreditam. Eu falo isso porque eu me conheço melhor do que qualquer um.
Já havia percebido isso a um bom tempo, mas vim aprender isso de maneira mais difícil e quiçá dolorosa. O quão é ruim você não dá atenção para uma pessoa e como também não receber atenção. Eu sou dessas. Faço isso às vezes sem querer e sem perceber. Ô cara demente sou eu.

Tem pessoas que falam que a gente vai aprendendo com nossos erros, mas acho que essa maldita teoria não se aplica e este pobre infeliz aqui. Eu faço isso freqüentemente e não me dou conta que estou fazendo, e nem percebo, o que é pior. Com isso machuco pessoas, perco amizades, e talvez perca até mais do que eu amizade. 

Tenho que aprender a ser mais humanos, cara. A dá mais carinho as pessoas, para com isso eu receber o mesmo em trocar. Tenho que ser mais atencioso com minhas atitudes e o que ando fazendo por aí. Nunca fui um cara de falar nada, sou calado as vezes, mas isso também atrapalha. Tenho que encontrar momentos. Creio que isso é o que devo fazer urgentemente. Encontrar momentos!

Uma coisa que tenho que aprender antes disso: a pedir desculpas. Sou péssimo nisso. Mas, contudo, todavia, não basta somente pedir desculpas, você tem que a demonstrar, cara. As coisas não são fáceis. E se as fossem não teriam graça. A vida é uma aprendizagem. É por isso que pessoas falam que a vida é melhor que uma porra de universidade. A vida é teoria e pratica. Saquem isso, caras. Ajudem-me a sacar isso. Estou precisando. Desculpas!

Teresina (PI), 29.05.2011